Filtrar
Filtrar

Capítulos


Casos Clínicos

Idade (intervalo)

Tipos de intervenções


Limpar
DOENÇAS MACULARES
Membranas Epirretinianas em Idade Pediátrica

As membranas epirretinianas correspondem a proliferações não vasculares de células retinianas capazes de induzir uma distorção da arquitetura macular, com consequente diminuição da AV e metamorfopsias.

A sua ocorrência em idades pediátricas é rara e o seu diagnóstico é frequentemente tardio. O seu tratamento é urgente pelo potencial risco de ambliopia.

A cirurgia está indicada nos casos em que há microdescolamentos da retina neurossensorial, alterações na barreira hemato-retiniana interna, metamorfopsias, ou ambliopia. A intervenção possibilita, em muitos casos, melhorar significativamente a estrutura da retina e a acuidade visual.

Estas membranas podem encontrar-se...

As membranas epirretinianas correspondem a proliferações não vasculares de células retinianas capazes de induzir uma distorção da arquitetura macular, com consequente diminuição da AV e metamorfopsias.

A sua ocorrência em idades pediátricas é rara e o seu diagnóstico é frequentemente tardio. O seu tratamento é urgente pelo potencial risco de ambliopia.

A cirurgia está indicada nos casos em que há microdescolamentos da retina neurossensorial, alterações na barreira hemato-retiniana interna, metamorfopsias, ou ambliopia. A intervenção possibilita, em muitos casos, melhorar significativamente a estrutura da retina e a acuidade visual.

Estas membranas podem encontrar-se na retinopatia do prematuro, descolamentos da retina traumáticos e não traumáticos, uveítes, vítreorretinopatia exsudativa familiar, doença de Coats e outras vasculopatias com ou sem hemovítreo.

[Ler mais] [Ler menos]
Casos Clínicos