Filtrar
Filtrar

Capítulos


Casos Clínicos

Idade (intervalo)

Tipos de intervenções


Limpar
DOENÇAS INFLAMATÓRIAS CORIORRETINIANAS - Causas não-infecciosas
Síndroma de Efusão Uveal

O termo “efusão ciliocoroideia ou uveal” refere-se a uma acumulação anormal de líquido seroso na camada externa da coroideia e do corpo ciliar. O líquido acumula-se geralmente na camada supracoroideia em alguns casos, resultar de um verdadeiro descolamento ciliocoroideu da esclera.

A acumulação crónica de um líquido proteico na coroideia pode resultar na quebra da barreira hemato-retiniana externa, causando um descolamento não regmatogénio da retina.

A efusão uveal não é uma entidade específica, mas sim uma condição anatómica causada por uma série de doenças oculares e sistémicas.

CLASSIFICAÇÃO DA SÍNDROMA DE EFUSÃO...

O termo “efusão ciliocoroideia ou uveal” refere-se a uma acumulação anormal de líquido seroso na camada externa da coroideia e do corpo ciliar. O líquido acumula-se geralmente na camada supracoroideia em alguns casos, resultar de um verdadeiro descolamento ciliocoroideu da esclera.

A acumulação crónica de um líquido proteico na coroideia pode resultar na quebra da barreira hemato-retiniana externa, causando um descolamento não regmatogénio da retina.

A efusão uveal não é uma entidade específica, mas sim uma condição anatómica causada por uma série de doenças oculares e sistémicas.

CLASSIFICAÇÃO DA SÍNDROMA DE EFUSÃO UVEAL

FACTORES HIDRODINÂMICOS

Hipotonia Ocular

  • Disfunção do corpo ciliar (tração, isquemia)
  • Fissura secundária a ciclodiálise
  • Glaucoma
  • Traumatismo ocular penetrante
  • Descolamento regmatogénio da retina
  • Deiscência de ferida

Pressão venosa uveal elevada

  • Fístula arteriovenosa
  • Vasos epiesclerais proeminentes idiopáticos
  • Síndroma de Sturge-Weber
  • Manobra de Valsava
  • Compressão das veias vorticosas por endentação escleral

Hipertensão maligna

FACTORES INFLAMATÓRIOS

  • Após fotocoagulação ou crioterapia
  • Após traumatismo ou cirurgia
  • Reação a drogas
  • Celulite orbitária / pseudotumor
  • Esclerite
  • Uveíte

NEOPLASIAS

  • Infiltrações linfoides, leucémicas ou melanocíticas
  • Melanoma maligno
  • Carcinoma metastático

SECUNDÁRIA A UMA ESCLERA ANORMAL

  • Síndroma de efusão uveal idiopática com mucopolissacaridose
  • Nanoftalmia

Referências

  • Green WR: The uveal tract. In Spencer WH (ed): Ophthalmic Pathology. Philadelphia, WB Saunders Co, 1986, pp 1776-1791
  • Brockhurst RJ: Vortex vein decompression for nanophthalmic uveal effusion. Arch Ophthalmol 98:1987-1990, 1980
[Ler mais] [Ler menos]
Casos Clínicos