Filtrar
Filtrar

Capítulos


Casos Clínicos

Idade (intervalo)

Tipos de intervenções


Limpar
OUTROS CASOS CLÍNICOS
Autotransplante de Córnea

O transplante de córnea (ou queratoplastia) é o procedimento cirúrgico no qual a córnea é substituída por tecido corneano de um doador.

Se a córnea perder a transparência ou se tornar irregular a visão fica comprometida. Algumas das doenças oculares que podem lesar a córnea incluem queratocone, cicatrizes corneanas resultantes de traumatismo ou infeção e distrofias corneanas (distrofia de Fuchs, distrofia lattice e outras).

Existem vários tipos de transplantes de córnea dependendo da zona da córnea lesada:

  • Queratoplastia penetrante – envolve o transplante de todas as camadas da córnea do dador
  • Querastoplastia lamelar – são transplantadas camadas da...

O transplante de córnea (ou queratoplastia) é o procedimento cirúrgico no qual a córnea é substituída por tecido corneano de um doador.

Se a córnea perder a transparência ou se tornar irregular a visão fica comprometida. Algumas das doenças oculares que podem lesar a córnea incluem queratocone, cicatrizes corneanas resultantes de traumatismo ou infeção e distrofias corneanas (distrofia de Fuchs, distrofia lattice e outras).

Existem vários tipos de transplantes de córnea dependendo da zona da córnea lesada:

  • Queratoplastia penetrante – envolve o transplante de todas as camadas da córnea do dador
  • Querastoplastia lamelar – são transplantadas camadas da retina selecionadas: endotélio (DSAEK - Descemet's Stripping Automated Endothelial Keratoplasty); reposição e remodelação da córnea externa e média (DALK - Deep Anterior Lamellar Keratoplasty).

Tal como acontece com todos os tipos de cirurgia, há risco de complicações após o transplante de córnea, tais como a rejeição da córnea, infeção e outros problemas de visão.

O autotransplante de córnea consiste no transplante de uma córnea do próprio doente, de um olho para o outro e é indicada nos casos em que uma das córneas apresenta uma lesão extensa num olho com potencial de visão e o outro olho tem uma córnea normal mas não tem visão devido a lesões irreversíveis. O risco de rejeição do enxerto é mínimo quando é utilizado um tecido do próprio doente.

[Ler mais] [Ler menos]
Casos Clínicos